Todos temos que lembrar – Jornalista de Pedreira é Morto a Tiros

A pergunta desafia, provoca, instiga, ilumina a inteligência, alimenta o pensamento. Ao longo dos tempos, o homem evoluiu seguindo a linha tortuosa de suas dúvidas, das perguntas que produziam respostas, das respostas insatisfatórias que geravam novas questões, que provocavam mais incertezas, mais perguntas.

A memória da sociedade é um patrimônio de todos e de cada um de nós. Nem sempre sabemos, mas todos lembramos. Todos precisamos lembrar. 

Hoje, 07 de abril comemoramos o DIA DO JORNALISTA, data que foi instituída em 1931, como homenagem ao médico e jornalista Libero Badaró, morto por inimigos políticos e amigos de D. Pedro I.

Na data de hoje, gostaria de parabenizar todos os jornalistas, e em especial, Sérgio Campos, jornalista da cidade de SUCUPIRA , ops… Pedreira, estado de São Paulo, morto por possíveis inimigos políticos.

Sucupira vive

Há 17 anos, já se matava jornalistas ou pessoas que eram contra o sistema na cidade de Pedreira.

O pessoal mais jovem talvez nem saiba de tal acontecimento em nossa querida e acolhedora cidade de Pedreira.


Pedreira, cidade dos Coronéis, e não são só dos Pedros.

O proprietário do jornal “Gazeta do Povo”, de Pedreira (145 km a norte de São Paulo), Sérgio Campos, 46, morreu na noite de terça-feira (15/04/2003). Ele estava internado no Hospital de Clínicas da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), após ser baleado na noite do último sábado em Jaguariúna.

Campos foi atingido com três tiros na cabeça. Seu corpo foi encontrado por policiais em uma estrada de terra do bairro Jardim Florianópolis.

Segundo a Polícia Civil, Campos pode ter sido vítima de uma emboscada devido ao local onde foi baleado e a posição do carro.

Quem matou, ou melhor, quem mandou matar Sergio Campos?

Por: Geferson Oliveira

Click para avaliar esse post
[Total: 1 Média: 5]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *